Projeto Arrastão

Arrastão é um trabalho que propõe um corpo e suas relações com fluxo, permanecendo junto, mantendo resistência e individualidade. São em ações coletivas que permeiam as decisões abrindo conexão com o espaço, o tempo e os corpos. Ele traz em seu cerne questões relacionadas ao desnudar, envolvendo um olhar que vai além do corpo estético e perfeito, mas enfatizando suas imperfeições, suas marcas e experiências bem como o libertar –se. O corpo formado por diferentes corpos que desejam, atraem, geram, impelem, arrastam, empurram, transformando o existir sozinho em desdobramentos e resistência

Iniciado novo processo

Nessa semana a Cia Etra de Dança, deu início a pesquisa para o novo trabalho que já possui nome: “ARRASTÃO”. Arrastão é um projeto que tem como objetivo criar um espetáculo a partir de pesquisas que vem sendo desenvolvidas por Edvan Monteiro desde 2015, quando fora convidado para ministrar uma residência de composição coreográfica pela Bienal Internacional de Dança do Ceará, para o projeto Trajetos EnCena. Edvan Monteiro decidiu investir na pesquisa agora com a sua Cia e com o apoio do Laboratório de corpo e arte da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo). Para esse novo e mais recente processo, foram convidados diversos artistas da cidade de Santos, além de alguns alunos que já participam de projetos de dança dentro da universidade que se juntaram ao elenco da etra para a elaboração desse processo. Ainda sem estréia prevista, a cia também conta com as parcerias dos fotógrafos Lairton Carvalho e Maurice Pirotte, dada a missão de registrar todo o desenvolver do trabalho.

13321819_10209698730735812_4625037732037257993_n

Foto: Maurice Pirotte

Foto Lairton Carvalho10

Foto: Lairton Carvalho

Foto Lairton Carvalho11

Foto: Lairton Carvalho

13310633_10209698735175923_7016143858805440109_n

Foto: Maurice Pirrote

Slide fotográfico do projeto F.I.LA. (Formar/Intenções/Levantar/Autonomia)

F.I.L.A. (Formar/Intenções/Levantar/Autonomia) é uma performance que trabalha o desenvolvimento do método decisão em tempo real e espacial, inspirado pelo método de João Fiadeiro (composição em tempo real). A fila propões em suas ações uma simetria com o espaço e com os elementos que estão inseridos nesse espaço. Toda a decisão tomada em relação ao deslocamento dessa fila e das ações que cada um desenvolve, é tomada de maneira coletiva e em tempo real. A escolha do figurino por macacões assim como todo o contexto da performance é uma referência aos trabalhadores do porto de Santos, por sua força, organização, posição social e uma fisicalidade especifica que nos serviu como ponto de partida para entender esse corpo e qual papel ele pode desempenhar diante de diferentes espaços urbanos.
Ficha técnica:
Direção artística e concepção: Edvan Monteiro
Direção geral e produção: Ariadne Filipe
Fotografia: Edvan Monteiro e Maurice Pirotte
Elenco: Ariadne Filipe, Marcela Loureiro, Carolina Rainho, Leandro Soares, Rafael Palmieri, Tamara Tanaka e Felipe Faustino
contatos: ciaetradedanca@gmail.com

F.I.L.A. (Formar/Intenções/Levantar/Autonomia)

F.I.L.A. (Formar/Intenções/Levantar/Autonomia) é uma performance que trabalha o desenvolvimento do método “Decisão em tempo real e espacial”, inspirado pelo método de João Fiadeiro (composição em tempo real).

A fila propõe em suas ações uma simetria com o espaço e com os elementos que estão inseridos nesse espaço. Toda a decisão tomada em relação ao deslocamento dessa fila e das ações que cada um desenvolve, é tomada de maneira coletiva e em tempo real.

A escolha do figurino por macacões assim como todo o contexto da performance, é uma referência aos trabalhadores do porto de Santos, por sua força, organização, posição social e uma fisicalidade especifica que nos serviu como ponto de partida para entender esse corpo, e qual papel ele pode desempenhar diante de diferentes espaços urbanos.

Nova versão de balões vermelhos

Depois de uma jornada de quase dois anos initerruptamente de apresentações do espetáculo “Balões vermelhos”, durante dois meses do final de 2014, Edvan Monteiro esteve em uma residência a convite da Escola da Vila da Artes de Fortaleza CE, para criar um trabalho à partir das experiências realizadas com os “Balões vermelhos”. Foi um imenso desafio para ele que inspirado pelas crianças e adolescentes nasceu o espetáculo “Primavera”. Após o seu retorno enebriado pela vivência e determinado a rever alguns aspectos que o incomodavam no espetáculo dos balões vermelhos da cia etra, resolveu modificar cenas já existentes e inserir novas cenas que funcionaram bem com as crianças e acabou funcionando bem com o elenco da cia etra. Totalmente revigorado, com cenas excluídas e outras refeitas, além de cenas inéditas, “Balões vermelhos ganha nova forma graças às crianças e adolescentes da Escola da Vila das Artes. Veja como ficou agora.

Novo experimento em andamento

Apesar de nosso atual espetáculo “Balões vermelhos”, continuar sua trajetória de ensaios e apresentações, decidimos que já era o momento de investir um novo processo, mais especificamente retomando um trabalho na rua, como já fizemos em outras ocasiões. Aqui deixamos umas imagens do fotógrafo que vem nos acompanhando nessa nova pesquisa Maurice Pirotte, para ter uma ideia do que estamos aprontando por aí.